Avi Mograbi, Bill Morrison, Lydia Lunch e Lucio Dalla na programação do 19.º Doclisboa

por Comunidade Cultura e Arte,    29 Julho, 2021
Avi Mograbi, Bill Morrison, Lydia Lunch e Lucio Dalla na programação do 19.º Doclisboa
“Gorbachev. Heaven”, realizado por Vitaly Mansky
PUB

O Doclisboa desvenda alguns dos títulos confirmados para a próxima edição do festival: 9 filmes que integram a secção Da Terra à Lua, que apresenta um conjunto de olhares críticos sobre o mundo, e 9 filmes do Heart Beat que trazem um olhar aproximado sobre o universo artístico.

Em Outubro, o israelita Avi Mograbi, um dos mais importantes cineastas do cinema documental da actualidade, estará em Lisboa para apresentar o seu novo trabalho. The First 54 Years – An Abbreviated Manual for Military Occupation é um filme que, através dos testemunhos de antigos soldados presentes na ocupação do território palestiniano, constrói uma sátira sobre os mecanismos de opressão no conflito israelo-palestiniano que se estende há 54 anos. 

As questões políticas e territoriais estão também presentes no novo filme dos cineastas brasileiros Carolina Canguçu, Roberto Romero, Sueli e Isael Maxakali, Nūhū Yãg Mū Yõg Hãm: Essa Terra É Nossa!. Galardoado com o prémio principal da Competição Internacional do festival Sheffield Doc/Fest 2021, este é um manifesto que, através do registo das práticas e rituais etnográficos, procura compor uma cartografia visual do espaço físico, histórico e mitológico do território, ao mesmo tempo que denuncia a acção política governamental que os tenta silenciar.

“Factory to the Workers”, do croata Srđan Kovačević

Ainda do Brasil, Paloma Rocha e Luís Abramo voltam a integrar o festival com a estreia internacional de Tentehar – Arquitetura do Sensível, filme que parte das eleições presidenciais brasileiras de 2018 para investigar e debater a identidade do país que se encontra cada vez mais dividido na dicotomia política.

O cineasta norte-americano Theo Anthony, realizador do aclamado Rat Film, é mais um dos nomes confirmados no festival, com o mais recente All Light, Everywhere, assim como o conterrâneo Bill Morrison que regressa ao Doclisboa com The Village Detective: a song cycle

A vida do último líder soviético em Gorbachev. Heaven, realizado por Vitaly Mansky, a espionagem cubana nos anos 90 em Castro’s Spies, de Ollie Aslin e Gary Lennon, o modelo pós-socialista e as crescentes forças económicas capitalistas de Factory to the Workers, do croata Srđan Kovačević, e as questões políticas e cívicas prementes na vida dos cidadãos georgianos em Sunny, de Keti Machavariani, completam a lista dos primeiros títulos confirmados para a secção Da Terra à Lua

No Heart Beat, a dança, música, artes visuais, artes performativas e o desporto voltam a estar representados.

O provocador e electrizante Lydia Lunch – The War is Never Over é uma das novidades desta edição. Realizado por Beth B em 2019, o filme documenta a vida extraordinária da icónica cantora, poeta e actriz norte-americana, cruzando imagens de arquivo, fotografias, performances e entrevistas, numa estética cinematográfica em simbiose perfeita com a inesgotável energia punk de Lydia Lunch.

“All Light, Everywhere”

Em For Lucio, realizado por Pietro Marcello, viajamos até ao imaginário poético e irreverente de Lucio Dalla, num tributo à figura emblemática da música italiana cujas composições e letras reverberam as várias transformações sociais que atravessaram o país nas décadas após a Segunda Guerra Mundial.

Em estreia mundial, o Doclisboa apresenta a Trilogia de Narodnaya (Narodnaya, After Narodnaya e Comet), de Vadim Kostrov. Três filmes que documentam a criação de uma galeria sazonal numa pequena localidade industrial russa que rapidamente se transforma num importante pólo de cultura underground onde diversos artistas urbanos e músicos ali se unem impulsionados pela liberdade de espírito. Com esta trilogia, o cineasta russo Vadim Kostrov preserva as memórias sobre a intensidade da experiência vivida num acto colectivo e de comunhão. 

“Nūhū Yãg Mū Yõg Hãm: Essa Terra É Nossa!”

Do mundo das artes performativas, o festival apresenta Gallant Indies, de Philippe Béziat, sobre um grupo de dançarinos que prepara a adaptação contemporânea da obra-prima barroca que dá título ao filme e que cruza diferentes danças urbanas com o canto lírico para invadir a Ópera da Bastilha em Paris, e Firestarter – The Story of Bangarra, filme de Nel Minchin e Wayne Blair sobre a reconhecida companhia de dança australiana aborígene que marca a história do movimento da luta pelos direitos dos aborígenes e contra as discriminações raciais.

High Maintenance: The Life and Work of Dani Karavan é realizado por Barak Heymann e apresenta um olhar enternecedor sobre a vida e legado do escultor israelita Dani Karavan que nos prende com a sagacidade e forma de estar incansável do artista reconhecido mundialmente que nos deixou em Maio deste ano. 

Destaque ainda para a estreia mundial do novo filme de André Valentim AlmeidaFamille FC, que acompanha o dia-a-dia do associativismo desportivo organizado pelos emigrantes portugueses que residem em Île-de-France.

Esta é uma programação que atravessa territórios e que interroga as várias realidades que se desenham no mundo.
O Doclisboa regressa às salas lisboetas de 21 a 31 de Outubro.

Gostas do trabalho da Comunidade Cultura e Arte?

Podes apoiar a partir de 1€ por mês.

Tags:

Artigos Relacionados