LeBron James responde a Zlatan Ibrahimovic sobre o papel dos grandes desportistas na política e em questões sociais

por Comunidade Cultura e Arte,    27 Fevereiro, 2021
LeBron James responde a Zlatan Ibrahimovic sobre o papel dos grandes desportistas na política e em questões sociais
LeBron James / Fotografia de Keith Allison
PUB

São dois grandes nomes do desporto e com opiniões opostas sobre o papel dos desportistas na política e em questões sociais.

Depois do jogo dos Los Angeles Lakers frente aos Portland Trail Blazers, que resultou na vitória dos Lukers, o basquetebolista norte-americano LeBron James respondeu às declarações do futebolista sueco Zlatan Ibrahmovic, numa entrevista ao canal televisivo sueco Discovery Plus, sobre o papel político dos grandes desportistas.

“Tenho mais de 300 crianças na minha escola [“I Promise School”] que precisam de uma voz e eu sou a sua voz… Nunca me calarei quando algo estiver mal. Eu falo pelas minhas pessoas, falo de igualdade, de injustiça social, racismo, supressão de voto sistemática. Sou a pessoa errada para se falar disso: faço sempre os meus deveres”, disse LeBron e acrescentou que “Não há maneira de me limitar apenas ao desporto porque entendo esta plataforma e o quão poderosa é a minha voz. É engraçado que ele diga isso. Penso que em 2018 foi ele que disse, quando estava na Suécia, que sentiu racismo porque o seu apelido não era um apelido normal [na Suécia]. Certo? Disse isso, verdade? Creio que disse”, continuou o basquetebolista norte-americano.

Esta resposta acontece depois de Ibrahimovic dizer ao canal televisivo sueco Discovery Plus que LeBron “é fenomenal no que faz, mas não gosto quando pessoas com um certo estatuto se dedicam à política. São livres de o fazer, mas acho que se deviam cingir àquilo em que são boas. Eu jogo futebol porque sou o melhor a fazê-lo. Não gosto de política, se quisesse falar de política teria seguido essa carreira.”, afirmou o futebolista.

Gostas do trabalho da Comunidade Cultura e Arte?

Podes apoiar a partir de 1€ por mês.

Artigos Relacionados

por ,    21 Janeiro, 2021

A extensão da encrenca é algo caricata, para um partido tão recente que, por bandeira, se diz "anti-sistema", "anti-corrupção", que diz vir para "acabar com a bandalheira", quando no fundo está recheado com aquilo que de pior temos no sistema. Não é bom sinal quando a podridão é mais notória dentro do partido que mais diz querer o fim da podridão.

Ler Mais