Novo romance de Haruki Murakami, “A Morte do Comendador”, chega às livrarias portuguesas

por Comunidade Cultura e Arte,    12 Novembro, 2018
Novo romance de Haruki Murakami, “A Morte do Comendador”, chega às livrarias portuguesas
Haruki Murakami / Fotografia de State Library Victoria
PUB

A Casa das Letras edita, amanhã, o novo romance de Huraki Murakami, A Morte do Comendador I. Depois de uma ausência de quatro anos – A Peregrinação do Rapaz sem Cor, editado em 2014, é o seu último romance – o escritor regressa com a história de um retratista sem nome, de 36 anos, subitamente abandonado em Tóquio pela mulher, que acaba por ir viver para a misteriosa casa de montanha de um famoso artista.

A descoberta de um quadro inédito no sótão dessa casa desencadeia uma série de misteriosos acontecimentos e constitui o pretexto para explicar metaforicamente os acontecimentos da vida do protagonista sem nome. A pintura que dá o mote ao romance, essa tem título − A Morte do Comendador − e remete para a ópera Don Giovanni, de Mozart.

Capa do livro

Dividido em duas partes, A Morte do Comendador elege a música e a pintura como artes privilegiadas e aborda a solidão e o amor, a arte e o mal, temas bem conhecidos dos leitores e pretende ser uma homenagem ao romance O Grande Gatsby, de F. Scott Fitzgerald.

Haruki Murakami é, sem dúvida, um autor de culto, lido por todas as gerações e procurado com especial curiosidade pelos jovens leitores, encontrando-se traduzido em mais de 50 línguas. Sendo um dos escritores japoneses contemporâneos mais divulgado em todo o mundo, é simultaneamente aplaudido pela crítica, que o considera um dos “grandes romancistas vivos” (The Guardian).

A Casa das Letras editou toda a sua obra distinguida com os prémios Franz Kafka, Jerusalém e Hans Christian Andersen e sempre apontada como merecedora do Nobel. A segunda parte de A Morte do Comendador será editada em Março, também pela Casa das Letras.

Gostas do trabalho da Comunidade Cultura e Arte?

Podes apoiar a partir de 1€ por mês.

Artigos Relacionados