Prémio Jean-Loup Passek aceita submissão de filmes com os temas: identidade, memória e fronteira

por Comunidade Cultura e Arte,    10 Janeiro, 2022
Prémio Jean-Loup Passek aceita submissão de filmes com os temas: identidade, memória e fronteira
Fotografai de Houses Cheung / Unsplash
PUB

Promovido pelo MDOC – Festival Internacional de Documentário de Melgaço, o prémio Jean Loup Passek tem a submissão de filmes aberta até ao dia 20 de Maio. Podem concorrer ao prémio documentários cinematográficos, produzidos em qualquer país e com qualquer duração, especialmente focados nos temas do festival: identidade, memória e fronteira.

Os filmes submetidos, curtas, médias e longas-metragens documentais, serão analisados pelo júri do prémio Jean Loup Passek, e exibidos durante o festival MDOC, entre os dias 1 e 7 de Agosto de 2022, altura em que serão anunciados os vencedores. O filme vencedor na categoria de longa-metragem será distinguido com um prémio no valor de 3.000 euros, a melhor curta-metragem receberá 1.500 euros e o melhor documentário português a concurso, independente da duração, arrecadará o prémio nacional, no valor de 1.000 euros.

O Prémio Jean Loup Passek foi assim batizado em homenagem ao escritor e crítico de cinema francês, conselheiro para o cinema do Centre Georges Pompidou, fundador e director do Festival de la Rochelle e coordenador da secção “Caméra d’Or” do Festival de Cannes. Durante a sua vida, Jean-Loup Passek cruzou-se com dois emigrantes portugueses em França, oriundos de Melgaço, e o crítico de cinema acabou por desenvolver uma profunda relação com o município do norte de Portugal, doando todo o seu espólio à vila de Melgaço.

Além do Prémio Jean Loup Passek, os filmes a concurso ficarão automaticamente candidatos ao Prémio D. Quixote, promovido pela Federação Internacional de Cineclubes e com um júri próprio, nomeado pela instituição promotora do prémio.

O festival MDOC é uma iniciativa da Câmara Municipal de Melgaço em parceria com a AO NORTE – Associação de Produção e Animação Audiovisual, que acontece desde 2013 e pretende promover e divulgar o cinema etnográfico e social, bem como refletir sobre identidade, memória e fronteira.

Todas as informações sobre o prémio e processo de candidatura podem ser encontradas na página da internet do festival.

Gostas do trabalho da Comunidade Cultura e Arte?

Podes apoiar a partir de 1€ por mês.