#SayTheirName: a Covilhã vai unir-se pelo Irão

por Comunidade Cultura e Arte,    11 Novembro, 2022
#SayTheirName: a Covilhã vai unir-se pelo Irão
Fotografia de Miguel Bruna / Unsplash
PUB

Ativistas iranianos unem forças com associações portuguesas para uma homenagem às mulheres e à liberdade no dia 17 Novembro, no auditório da biblioteca da Universidade da Beira Interior, com transmissão online.

A Universidade da Beira Interior (UBI), na Covilhã, vai receber a vigília #SayTheirName – Covilhã for Iran no próximo dia 17 de novembro, pelas 18:30, no auditório da biblioteca.

O dia 17 de novembro marca dois meses e um dia desde a morte de Mahsa Amini, uma jovem de 22 anos que foi detida pela “polícia da moralidade” iraniana por “uso indevido” do seu hijab, o lenço islâmico. Mahsa morreu dias depois, sob custódia.

“Mulher, vida, liberdade” é o grito de milhares de iranianas e iranianos que saíram às ruas após a sua morte, desencadeando em vários pontos do país os maiores protestos contra o governo autocrático do Irão dos últimos anos. O governo restringiu o acesso à internet no país e organizações de direitos humanos denunciam crimes contra protestantes pacíficos que os meios de comunicação iranianos, influenciados pelo estado, não estão a reportar. O evento na Covilhã pretende também amplificar as vozes das mulheres que, em homenagem a Mahsa, tiraram os seus lenços e protestaram nas ruas.

Nima Moradi, ativista dos direitos das mulheres no Irão que foi forçado a sair do país, vai marcar presença online para uma conversa sobre o contexto político, económico e social do Irão, uma reflexão sobre o passado e o futuro do país depois da atual revolução, que dois meses depois continua em força.

“Onde neste mundo é crime pedir por liberdade? Eu juro, minha terra natal, agora regada com o sangue e as lágrimas das tuas crianças, não há um momento em que não esteja a pensar em ti. Irão, o teu nome traz-me tristeza, fúria e culpa. No entanto, mais do que nunca, estou orgulhoso de ti. Estou orgulhoso desta poderosa revolução que, pela primeira vez, é liderada por mulheres e apoiada por homens”, escreveu o ativista iraniano, numa carta ao seu país.

Nima vai também partilhar com público mensagens diretas de iranianos que estão a participar nos protestos. Toda a sessão será transmitida online, através de um link disponibilizado nas redes sociais das associações organizadoras.

O evento em homenagem às mulheres é à liberdade no Irão é organizado pela Associação Académica da Universidade da Beira Interior (AAUBI), pela Associação Humanitária Beira Aproxima (AHBA) e pela Humanity on the Move (HOM), com o apoio de ativistas iranianos.

Gostas do trabalho da Comunidade Cultura e Arte?

Podes apoiar a partir de 1€ por mês.

Tags: