‘Zama’, com presença da realizadora Lucrecia Martel, no IndieLisboa (passatempo)

por Comunidade Cultura e Arte,    2 Maio, 2018
‘Zama’, com presença da realizadora Lucrecia Martel, no IndieLisboa (passatempo)
PUB
O filme “Zama”, de Lucrecia Martel, estreia a 3 de Maio (amanhã) no cinema Ideal, em Lisboa, pelas 20h, no âmbito do IndieLisboa. A sessão vai contar com a presença da realizadora e em parceria com o Som e a Fúria temos 5 bilhetes duplos para te oferecer.

No final do século XVIII, numa colónia longínqua da América do Sul, Zama, funcionário da coroa Espanhola, aguarda em vão por uma transferência para um posto de maior prestigio. Vítima de pequenas humilhações e de politiquices mesquinhas, vai-se deixando sucumbir cada vez mais à luxúria e à paranóia…

Diego de Zama é um funcionário americano da Coroa Espanhola à espera de uma carta do Rei que o afaste do posto da fronteira, no qual se encontra estagnado.
A sua situação é delicada e este deve tomar precauções para que nada interfira nessa possibilidade. Zama vê-se obrigado a aceitar, de forma submissa, qualquer ordem dos Governadores que se vão sucedendo, enquanto ele permanece.
Alguns anos passam, a carta nunca chega. Quando tudo parece perdido, Zama decide juntar-se a um grupo de soldados em busca de um perigoso bandido.

Quero avançar em direcção ao passado com a mesma irreverência que temos quando avançamos em direcção ao futuro. Sem tentar documentar utensílios e factos pertinentes, já que Zama não tem quaisquer pretensões historicistas. Mas antes tentando submergir num mundo que ainda hoje é imenso, com animais, plantas e também mulheres e homens quase impossíveis de compreender. Um mundo que foi destruído antes de ter chegado a ser encontrado, e que assim permanece em delírio.“, diz Lucrecia Martel no comunicado enviado paras a nossa redacção e acrescenta ainda: “O passado no nosso continente é tremido e confuso. Fizemo-lo assim para não termos de pensar na propriedade da terra, nos despojos sobre os quais o abismo latino-americano foi fundado, emaranhando a génese da nossa própria identidade. Assim que começamos a indagar sobre o passado, sentimo-nos envergonhados.“, “Zama” mergulha profundamente no tempo de homens mortais, nesta curta existência que nos é permitida, pela qual nos movemos desejosos de amar, esmagando precisamente aquilo que poderia ser amado, adiando o sentido da vida como se o dia mais importante ainda estivesse para vir, e não o fosse o dia de hoje. E no entanto, o mesmo mundo que parece estar decidido a destruir-nos torna-se a nossa salvação: quando nos perguntam se gostaríamos de viver mais tempo, dizemos sempre que sim.

Lucrecia Martel é uma realizadora argentina reconhecida internacionalmente. Todos os seus filmes tiveram destaque nos festivais de cinema mais importantes do mundo: Cannes, Berlim, Veneza, Toronto, Nova Iorque, Sundance, Roterdão, entre outros, onde receberam numerosos prémios e distinções. Foram feitas retrospectivas dos seus trabalhos em instituições prestigiadas, em Harvard, Berkeley e Tate Museum de Londres. Também fez parte do júri oficial dos festivais de Berlim, Cannes, Veneza, Sundance e La Habana, e deu masterclasses por todo o mundo.

Para ficares habilitado a um dos 5 convites duplos do nosso passatempo tens de fazer o seguinte:
– Identificar um amigo na publicação da nossa página de Facebook
– Partilhar este artigo em modo público no teu Facebook

Gostas do trabalho da Comunidade Cultura e Arte?

Podes apoiar a partir de 1€ por mês.

Artigos Relacionados