Accionistas querem Mark Zuckerberg fora da presidência do Facebook. E querem presidente independente

por Comunidade Cultura e Arte,    5 Junho, 2019
Accionistas querem Mark Zuckerberg fora da presidência do Facebook. E querem presidente independente
Ilustração de Doug Chayka
PUB

Mark Zuckerberg continua em maus lençóis.

Foi divulgado o resultado da reunião de accionistas do Facebook e, segundo o Business Insider, 68% de accionistas externos querem demover Mark Zuckerberg da Presidência da empresa.

Michael Frerichs, tesoureiro do estado de Illinois e investidor do Facebook, defendeu em comunicado que era a hora da empresa separar os cargos: “Neste momento, o Sr. Zuckerberg é CEO e Presidente do Conselho do Facebook, patrão dele próprio, e claramente não está a funcionar“, afirmou Frerichs.

“No Verão de 2006, a Yahoo ofereceu-nos mil milhões de dólares pelo Facebook. Eu queria desesperadamente que Mark dissesse sim. Mesmo a pequena fatia da empresa que eu possuía teria chegado para me fazer várias vezes milionário. Para um miúdo de 22 anos, oriundo de uma pequena cidade na Carolina do Norte e a estudar com uma bolsa, esse tipo de dinheiro era inimaginável.”, palavras de Chris Hughes, co-fundador do Facebook e amigo de Mark Zuckerberg, ao New York Times.

Por seu lado, Scott Stringer, um dos responsáveis de assuntos fiscais da cidade de Nova Iorque, também divulgou em comunicado que pedia que “a sala de reuniões do Facebook devia ser aberta porque a empresa não assume as suas responsabilidades perante os seus utilizadores, investidores ou a nossa Democracia.

Mark Zuckerberg e Chris Hughes fotografados na Universidade de Harvard em Maio de 2004 / Fotografia de Rick Friedman/Corbis

Stringer e Frerichs supervisionam fundos que o Facebook recebe e estão no grupo de investidores que entraram com uma resolução de accionistas a pedir que a empresa tenha um Presidente independente como forma de melhorar a supervisão.

“Cerca de 70 por cento dos adultos norte-americanos usam redes sociais, e a grande maioria utiliza os produtos do Facebook. Mais de dois terços usam o site original, um terço usa o Instagram (Facebook) e um quinto o WhatsApp (Facebook). Por contraste, menos de um terço diz utilizar o Pinterest, o LinkedIn (Microsoft) ou o Snapchat. O que começou como um leve entretenimento tornou-se a principal forma de pessoas de todas as idades comunicarem online.”, disse ainda Chris Hughes.

Já Susan Desmond-Hellmann, membro do conselho do Facebook, declarou, de acordo com a Forbes, que “a empresa, eu e o conselho de administração estamos confortáveis com o actual acordo operacional, onde Mark é Presidente e CEO“.

Por fim, vários analistas consideram improvável que tal votação demova Zuckerberg. O fundador e outros membros internos controlam 58% do poder de voto do Facebook.

Gostas do trabalho da Comunidade Cultura e Arte?

Podes apoiar a partir de 1€ por mês.

Artigos Relacionados