Sensible Soccers dão a conhecer o primeiro single, “Cantiga da Ponte, do próximo disco “Manoel”

por Comunidade Cultura e Arte,    8 Setembro, 2021
Sensible Soccers dão a conhecer o primeiro single, “Cantiga da Ponte, do próximo disco “Manoel”
Fotografia de Vera Marmelo
PUB

Tema faz parte de “Manoel”, 4º álbum e sucessor de “Aurora”, que nasce do processo de composição da banda sonora para 2 filmes de Manoel de Oliveira: “Douro, Faina Fluvial” e “O Pintor e a Cidade”.

“Cantiga da Ponte” é o tema de abertura de “Manoel”, o quarto LP dos Sensible Soccerse foi criado para acompanhar o trecho de abertura de “Douro, Faina Fluvial”, o primeiro filme de Manoel de Oliveira, uma espécie de poema visual centrado no Rio Douro com a Ponte D. Luís no papel principal. Talvez também por isso esta canção tenha claramente duas margens e uma ponte a ligá-las. Em “Cantiga da Ponte”, os Sensible Soccers voltam a trazer elementos emblemáticos do último disco, como o baixo transmutado (quase irreconhecível) ou as percussões, mas, desta feita, deixam para trás as emulações de instrumentos para dar lugar a um piano, flautas transversais e saxofones de verdade. Assume a forma de uma cantiga, rendilhada, nostálgica e emotiva, com jeito de trova e sabor quase erudito.

A ideia de “Manoel”, o quarto LP dos Sensible Soccers, nasce da vontade de compor uma banda sonora para “Douro, Faina Fluvial” (1931), o primeiro filme de Manoel de Oliveira (à data com 22 anos de idade). A banda tinha feito o mesmo para “Homem da Câmara de Filmar” de Dziga Vertov, respondendo a uma encomenda da Casa das Artes de Famalicão, as similaridades entre as obras são evidentes e a vontade de continuar a explorar este filão era grande. O projeto torna-se mais ambicioso quando se confrontam com a relação especial entre “Douro, Faina Fluvial” e “O Pintor e a Cidade”(1956), filmes completamente antagónicos — o segundo funciona como uma negação do primeiro — separados por vinte e cinco anos e unidos pela cidade do Porto neles impressa. Ver os dois filmes de seguida fez desenhar uma viagem a dois passados distintos, um exercício de memória impactante e emocionante, um convite à reflexão sobre a identidade e desenvolvimento da cidade até aos nossos dias.

A ideia passou assim a ser musicar ambos os filmes, irmanando-os num trabalho que resultasse, por um lado, num LP, onde a música teria que funcionar e viver sem as imagens e por outro, num espetáculo ao vivo, em formato cine-concerto, onde os filmes seriam projetados e os Sensible Soccers executariam a banda sonora em direto. As intenções foram apresentadas e recebidas com entusiasmo por Manuel Casimiro, filho do Cineasta e por António Preto, diretor artístico e programador da Casa Manoel de Oliveira. O projeto foi posteriormente submetido ao Criatório, programa de apoio à criação promovido pela Câmara Municipal do Porto. Este apoio foi um fator decisivo para a realização do projeto e, um ano depois do início efetivo do trabalho, o resultado está prestes a ser conhecido: no dia 1 de outubro de 2021, precisamente 10 anos após a edição do primeiro EP da banda, sairá “Manoel”, o quarto longa duração.

No dia 19 de setembro, pelas 19 horas, no Auditório do Museu de Serralves, os Sensible Soccers apresentam, pela primeira vez, “Manoel” em formato cine-concerto, inserido nas comemorações dos 90 anos do “Douro, Fauna Fluvial” promovidas pela Casa do Cinema Manoel de Oliveira.

Gostas do trabalho da Comunidade Cultura e Arte?

Podes apoiar a partir de 1€ por mês.

Artigos Relacionados