Culturgest cria biblioteca online com conferências, espetáculos, áudios, fotografias e documentação

por Comunidade Cultura e Arte,    5 Março, 2021
Culturgest cria biblioteca online com conferências, espetáculos, áudios, fotografias e documentação
Steve Paxton / Fotografia de Vera Marmelo
PUB

A Culturgest assume uma nova presença digital, com a disponibilização de uma biblioteca de conteúdos media, a partir desta sexta-feira, dia 5 de março. 

A nova área, alojada no website, oferece tanto nova programação, pensada especificamente para o ambiente online, como conteúdos de memória dos últimos 27 anos.

O arranque do projeto é marcado pela estreia da conversa entre Bruno Marchand (programador de artes visuais da Culturgest) e Óscar Faria (curador), no âmbito do lançamento do catálogo sobre a exposição Lendo Resolve-se: Álvaro Lapa e a Literatura (que fica disponível para aquisição online de imediato).

A biblioteca media é a nova área do website da fundação, que foi totalmente redesenhado. O público tem agora acesso a microsites temáticos, vídeos de conferências e espetáculos, áudios, fotografias e documentação que constituem a história visível do centro multidisciplinar. 

Estão disponíveis, a partir de sexta-feira, conteúdos sobre a programação dos últimos três anos (como a peça As Virgens Suicidas, de John Romão), bem como gravações históricas (como a conferência Não te Esqueças de Viver!, de Maria Filomena Molder, ou em breve, o documentário Jorge Martins – Quadros Inacabados”, de Sérgio Trefaut).

A estratégia digital da Culturgest passa tanto por novas propostas de programação online como pelo olhar para o património de quase três décadas. Há aqui uma história muito rica a redescobrir, que ilustra a evolução da criação artística e do debate em torno das artes e das humanidades”, afirma Mark Deputter, diretor artístico e administrador da Culturgest. “Estamos entusiasmados com esta possibilidade de pensar o novo em diálogo com o que já vimos e ouvimos. Num mundo em aceleração, caracterizado pela voracidade do novo, a salvaguarda da memória é também uma forma de contemporaneidade”, acrescenta.

Esta nova área está em linha com a estratégia digital da Culturgest, fortemente ligada a uma abordagem editorial que a fundação tem vindo a seguir desde 2019. A partir das propostas de programação lançadas, em cada ano, são criados objetos visuais, auditivos e documentais que abrem a oportunidade para outras leituras dos artistas, dos espetáculos, das exposições e das conferências que passam pelas salas do espaço cultural. A nova área media, agora disponível, agrega todos esses conteúdos para uma descoberta integrada e feita ao ritmo e interesse de cada espectador.

Gostas do trabalho da Comunidade Cultura e Arte?

Podes apoiar a partir de 1€ por mês.

Artigos Relacionados