Kurt Cobain em 1991: “Sou fã de rap mas a maior parte dele é tão misógino”

por Comunidade Cultura e Arte,    28 Novembro, 2018
Kurt Cobain em 1991: “Sou fã de rap mas a maior parte dele é tão misógino”
Kurt Cobain em 1993 / Fotografia de Stephen Sweet-Shutterstock
PUB

A entrevista agora republicada é de 1991 e foi divulgada numa fanzine canadiana. O jovem Roberto LoRusso, na altura com 21 anos, era DJ na rádio universitária em London, no Canada, foi quem teve a sorte de entrevistar Kurt Cobain. A entrevista aconteceu três dias antes do lançamento de “Nevermind”, nas instalações do Opera House, em Toronto, onde os Nirvana actuaram e deram a conhecer “Smells Like Teen Spirit”, “Drain You” ou “Polly”.

Nessa altura Cobain fez alguns comentários polémicos, como o de que as pessoas brancas não sabem dançar, nem sabem fazer rap. O ex-vocalista dos Nirvana assumiu-se como “fã de rap mas a maior parte dele é tão misógino que não tenho disposição para ele“, Cobain disse ainda: “Respeito e adoro totalmente [o rap] porque é uma das únicas formas originais de música (…) homens brancos a fazer rap é como homens brancos a dançar: não sabemos fazer nem uma coisa nem outra”. O artista foi ainda mais longe dizendo que “o Homem branco explorou o negro durante demasiado tempo” e “devia deixar o rap para os afro-americanos“.

Kurt Cobain em 1991 / Fotografia de Gilbert Blecken

Já sobre os 750 mil dólares, um orçamento elevado na altura, para gravar “Nevermind”, que os Nirvana iam editar poucos dias depois desta entrevista, Cobain corrigiu a informação: “Três quartos de um milhão dólares? Não recebemos assim tanto. [Deram-nos] 175 mil. 33% foram para os impostos, 20% para o nosso advogado, 10% para o nosso manager, 70 mil dólares para a Sub-Pop [a anterior editora dos Nirvana], o que nos deixou 20 mil dólares para comprarmos equipamento. Nem sequer tenho casa para viver de momento“.

Na altura o autor da entrevista hesitou em publicar o artigo por entender que não se tinha preparado de forma adequada. Roberto LoRusso pediu inclusive desculpas pela qualidade da entrevista, a que ele chamou de “objectivamente terrível por todos os padrões jornalísticos“, “as minhas perguntas foram mal elaboradas porque a minha pesquisa estava incompleta e imprecisa“, “Cobain foi incrivelmente paciente e gentil, principalmente se considerarmos que eu não estava bem preparado“, acrescentou LoRusso.

Podes ver e ouvir o concerto na íntegra dos Nirvana em Montreal aqui:

Gostas do trabalho da Comunidade Cultura e Arte?

Podes apoiar a partir de 1€ por mês.

Artigos Relacionados